Início Psicologia Quantas vezes você sacrificou seus próprios interesses pelos demais? Aprenda a NÃO...

Quantas vezes você sacrificou seus próprios interesses pelos demais? Aprenda a NÃO agradar aos outros!

254
0

Quantas vezes você sacrificou seus próprios interesses pelos demais? Aprenda a parar com isso de uma vez por todas.

É realmente tão importante ganhar a aprovação dos outros? Quando devemos deixar de ser bons para todos e maus apenas para nós mesmos?

Lembre-se: querer agradar as pessoas não vai te deixar obrigatoriamente  feliz. Ser conhecida como “confortável”, uma pessoa que todos amas, é bastante tentador e divertido. E é compreensível que você tenha sido criado para ser alguém educado, mas  não confunda polidez com total ausência de conflito. Do contrário, seus esforços não serão voltados para fortalecer o seu próprio bem-estar, mas para tentar agradar a todos, para se adaptar, para se “encaixar”. E nada de bom virá disso.

 você não pode agradar a todos!

Por que não é uma boa ideia tentar sempre agradar a todos ao seu redor?
É impossível! Não é realista satisfazer os caprichos de todos, sem exceção. Cada um tem sua opinião, sua visão de vida, etc. O que os outros pensam de você é apenas uma opinião, não uma verdade indiscutível. Não se esqueça disso!

Também é importante que você tenha claro na sua cabeça que você nem sempre precisa levar a sério o que os outros dizem e pensam sobre você. Não há como saber por que e o que exatamente está por trás das avaliações que fazem sobre nós. Talvez a pessoa esteja com raiva, ou em um mal dia. Temos que ter cuidado para não agradar os outros esperando que nos tratem da mesma forma. Somos todos diferentes.

Prazer não garante felicidade

Admiração, amor e gentileza dos outros não garantem felicidade. É o estado interno e depende de nós mesmos, e não dos outros.

Não importa o quanto você tente fazer tudo certo, não importa a opinião que você tenha sobre si mesmo, sempre haverá pessoas que o farão em pedaços. Cada pequena falha será elevada ao décimo grau.

Mas  você tem empregos, hobbies, amigos, parentes e assuntos pessoais que requerem atenção, esforço e tempo. Por que se preocupar com algo que nem sempre depende de você?

Como superar o desejo de agradar a todos?

Relembre os últimos 5 casos em que você agiu de forma a obter a aprovação de outras pessoas. Escreva esses casos no papel e observe como você se comportaria, priorizando a satisfação de seus próprios desejos e necessidades, sem se deixar guiar pelo desejo de agradar. Pense sobre os perigos dessas ações e imagine o pior cenário possível.

Analise as preocupações (perigos) que você anotou e responda à pergunta se as consequências de expressar sua posição pessoal são tão terríveis. Descubra se outro resultado seria prejudicial para você.

Analise e especifique seus limites pessoais, compare-os com os estabelecidos por outros. Você não deve ser tolerante com o preconceito e aceitá-lo como norma. Não deixe que os outros façam o que perturba, irrita e perturba você. Será difícil no início, mas você logo começará a lidar com isso.

Você não deve construir sua própria auto-estima com base no que você faz pelos outros. Pelo menos nem sempre, e pelo menos não para todos. A ajuda mútua é necessária, mas não com o único propósito de agradar a alguém. Decida por si mesmo quem deve ajudar e quem não.

Aprenda a recusar. Não se desculpe por dizer não. Transmita claramente a sua posição ao interlocutor. 

 Tente fazer algo baseado nas suas próprias necessidades, sem se importar com o que os outros vão dizer. Comece a ser guiado principalmente por seus interesses.

Encontre um compromisso. Ser arrogante e agir acima de tudo e especialmente de forma egoísta também é inaceitável. Desenvolva autoconfiança e autocuidado adequados.,

Texto originalmente publicado em lekuva e adaptado pela equipe do blog Educadores.