Início Comportamento Você sabia? Nas Filipinas, páscoa era comemorada com crucificação

Você sabia? Nas Filipinas, páscoa era comemorada com crucificação

510
0

Você já sabe como é comemorado a páscoa ao redor do mundo? Datas religiosas como essa são cultivadas de maneiras bem diferentes, dependendo da cultura de cada local. Aqui no Brasil somos bem tradicionais, com as religiões seguindo seus cultos e o coelho da páscoa trazendo sempre sua cesta de ovos. Mas nem em todos os lugares é bem assim.

Nas Filipinas, por exemplo, a comemoração é bem singular. Lá a páscoa é mais importante que até mesmo o Natal! Segundo a blogueira e viajante  Tati Sato, do blog “Brasileiras pelo Mundo”, o comércio nas Filipinas fecha completamente na sexta feira Santa, enquanto no dia 25 de dezembro abrem por meio período – mostrando a relevância que o povo de lá dá para a páscoa.

Na semana Santa, as cidades tornam-se mais quietas, silenciosas. Muitas estações de rádio e emissoras de televisão deixam de transmitir durante a semana inteira. Já na sexta-feira Santa, muitos eventos religiosos são cultivados, mas um se destaca entre todos: a crucificação.

RECONSTITUIÇÃO DE CRUCIFICAÇÕES

Filipinas é um lugar tipicamente católico. Por isso essas datas são comemoradas fielmente de maneira cristã. Mas diferentemente do Brasil, lá as comemorações vão além de missas e procissões : a reconstituição da crucificação é um dos momentos mais fortes e que mais representam o momento da páscoa para a população.

Para nós, brasileiros, chama muita atenção: além das vestimentas e de toda as cenas produzidas para representar o momento da crucificação de Jesus Cristo, existem os “flagelantes”. Estes são alguns dos filipinos que se auto-flagelam publicamente. Alguns chegam a deixar se crucificar, para demonstrar a dor pela qual passou Jesus. (Já imaginou?)

No entanto, embora seja cultural do local essas manifestações, a Igreja Católica tem desencorajado essas atitudes. Segundo o Arcebispo   Paciano Aniceto, em entrevista à Reuters, a prática era uma distorção dos ensinamentos de Cristo.

Mas como se limita as atividades culturais de um local que não é de sua origem? As últimas notícias relacionadas a essa prática datam de 2013. Talvez, com o passar do tempo, essa cultura venha se modificando aos poucos…

Fonte: brasileiraspelomundo; pri; in.reuters;