Início Curiosidades Coelho da páscoa: quem criou essa representação que se difundiu como cultura...

Coelho da páscoa: quem criou essa representação que se difundiu como cultura no mundo todo?

1095
0

O significado real da páscoa todos – ou pelo menos grande maioria – já conhece: a ressurreição de Cristo. É uma data tipicamente religiosa. Mas muitos ainda não entendem de onde surgiu o símbolo do Coelho da Páscoa – figura que virou cultura no mundo inteiro nessa época.

A verdade é que existem muitas histórias e teorias para a criação do coelho como figura representativa da páscoa. Histórias que envolvem ou não o cristianismo.

QUAIS HISTÓRIAS RETRATAM O SURGIMENTO DO COELHO DA PÁSCOA?

Desde o Egito antigo o coelho já era considerado um símbolo de fertilidade – já que pode gerar filhotes de 4 a 8 vezes por ano. Com o passar do tempo, além deste símbolo, ele também começou a ser visto como sinônimo de renascimento pois era o primeiro animal a sair da toca após o inverno.

Como existem mais de uma história sobre a origem do coelho da páscoa, algumas são de origem cristã e outras pagãs.

O paganismo

A teoria mais conhecida que envolve o coelho da páscoa com origens pagãs vem da sua relação com uma deusa da mitologia germânica chamada de Ostara ou Eostre. Ela era conhecida por ser uma deusa da fertilidade, e muitos acreditam que ela tem relação direta com o nome da Páscoa no Hemisfério Norte — Easter, em Inglês, e Ostern, em Alemão. Nessa história, a deusa Ostara transforma um pássaro em coelho para divertir algumas crianças. O pássaro, não contente com a transformação, pede que retorne a sua forma original. Quando isso acontece, como forma de agradecimento, o pássaro deixa ovos coloridos para a deusa, que acaba os dando de presente para as crianças.

No entanto, são histórias exploradas que não possuem evidências de sua real existência, apesar de muitos artistas e até figuras cristãs já terem citado essa relação.

O cristianismo

A princípio as possíveis origens cristãs do coelho da Páscoa teriam associação inicial com a lebre. Com o passar do tempo é que ela teria sido substituída pelo coelho, por aparentar ser mais dócil.

De alguma forma, na Idade Média, existia um pensamento que relacionava a lebre (ou o coelho) à virgindade. Isso fazia com que o animal aparecesse junto à Virgem Maria que acabou resultando até em uma obra de arte conhecida como “A Virgem com o coelho”. Essa pintura foi produzida por Tiziano Vecellio e mostra a Virgem Maria segurando um coelho branco, o qual era enxergado como um símbolo de pureza.

Outra relação oriunda no coração do cristianismo no Hemisfério Norte  sugere que  o coelho passou a ser visto como um símbolo cristão porque durante a época em que a Páscoa era comemorada o animal era um dos primeiros a serem vistos com o fim do inverno – como citado anteriormente neste texto.

Há ainda, histórias que cruzam o paganismo com o cristianismo. Quando o cristianismo começou a ser estabelecido, algumas culturas pagãs foram substituídas e outras alteradas ou adaptadas.

A verdade é que é muito difícil saber com precisão a origem do coelho como representação da páscoa. O importante nos tempos atuais é sempre ensinarmos as crianças sobre o verdadeiro significado e fazê-las felizes com seus ovos coloridos e a imaginação de que existe um coelho que as presenteia todo ano.

Fonte: mundoeducacao; bbc