Início Comportamento Por que as crianças japonesas não fazem birras?

Por que as crianças japonesas não fazem birras?

476
0
Japanese boy eating meat; Shutterstock ID 178891739; PO: today.com

Talvez não seja do seu conhecimento, mas nem toda criança é de fazer birra. Sabia? Há um povo muito conhecido que tem uma educação impecável: os japoneses. Este povo, em sua maioria, educa crianças que não fazem birras. Na cultura japonesa, é fundamental que a mãe passe tempo com os filhos e esse é um dos motivos pelos quais os pequenos não fazem tantas birras.

Mas qual a razão para isso acontecer? É o que nós te explicamos.

Razões pelas quais as crianças japonesas não fazem birras

Crianças e adolescentes são afetuosos e empáticos com os idosos.

As relações entre as gerações são baseadas no respeito: tanto os adolescentes tem respeito pelos idosos, quanto os idosos tem paciência com os mais novos. Essas relações entre gerações possibilitam um ambiente de calma, onde a criança pode crescer focada na boa educação e tranquilidade.

Educação dos pais é baseada no afeto

E não na violência e nos gritos! Sim, lá no Japão não existe as reprimendas que existem aqui. Não há gritos nem violência física que justifique a falta de paciência dos pais. Por lá, as crianças são educadas apenas baseado no afeto e na paciência, no diálogo e no amor. Parece difícil, não é? Mas para eles já é algo que faz parte da cultura do povo.

Inclusive, quando um comportamento não é adequado, os adultos os repreendem com olhares ou gestos de descontentamento. E por incrível que pareça, basta um olhar para que os pequenos entendam que aquele comportamento não é correto.

 Método de sensibilização

É um método usado pelos pais japoneses. Se uma criança quebra alguma coisa, seus pais usam o método, que nada mais é que recorrer  a frases como “Você o machucou” ou “Está ferido”, entre outras. Dessa forma, os filhos entendem que seu mau comportamento pode machucar e, portanto, não pode ser repetido.

Tempo de qualidade entre membros da família

Para os pais, passar um tempo com os filhos é de extrema importância. Mas esse tempo precisa ser também de qualidade. Ou seja: eles não levam os filhos pra praça e ficam no telefone celular. Eles encaram o tempo com as crianças como cem por cento de atenção à eles.

Controle emocional

eles têm grande controle sobre suas emoções e não se permitem ter explosões. O que nos leva, mais uma vez, à uma educação sem violência física nem verbal – geralmente expressadas aqui no Brasil em função da perda de paciência.

O exemplo dos japoneses

Deveríamos enxerga-los como exemplos. Pelo menos na questão de educação, os japoneses conseguem ser incrivelmente superiores à muitos povos. Se é tão benéfico e bonito a forma educada como encaram a vida, por qual razão não os imitamos?

Sejamos conscientes e sigamos esse exemplo!

Texto originalmente publicado em soumamae e adaptado pela equipe do blog Educadores.