Início Bem estar Novo tratamento erradica tumores ovarianos em camundongos e pode ser usado em...

Novo tratamento erradica tumores ovarianos em camundongos e pode ser usado em testes em humanos logo.

167
0

Novo tratamento elimina câncer avançado de ovário e cólon em camundongos. No outono pode ser testado em humanos.

A técnica é descrita na revista científicaAvanços da Ciência. Segundo os pesquisadores, o segredo fica por conta do chamado. “fábricas de drogas” em miniatura que são implantadas na membrana ao redor dos órgãos dos animais. Como resultado, os tumores foram destruídos em apenas 6 dias.

O implante contém células humanas modificadas para secretar interleucina-2 (IL-2), uma citocina que faz com que os glóbulos brancos combatam o câncer e outras doenças.

O uso de interleucina-2 e outras citocinas para o tratamento de câncer de pele e rim já foi aprovado pela Food and Drug Administration dos EUA. No entanto, nas terapias existentes, a interleucina-2 é injetada por via intravenosa em grandes quantidades, o que muitas vezes tem efeitos colaterais agudos.

É por isso que os pesquisadores estão desenvolvendo um novo método de entregar altas doses de interleucina-2 diretamente ao próprio câncer. Desta forma, os níveis de citocinas não aumentam em todo o corpo. Para conseguir isso, eles implantam suas fábricas de medicamentos no abdômen – uma membrana serosa que cobre as paredes da cavidade abdominal e órgãos internos. Dessa forma, eles garantem que a interleucina-2 caia diretamente nos tumores próximos.

Uma vez implantadas, essas “fábricas” entregam doses da droga diariamente até que o câncer seja eliminado, dizem os especialistas. Uma vez que tenhamos determinado a dose correta – ou seja. quantas fábricas são necessárias – fomos capazes de destruir tumores 100% em animais com câncer de ovário e 7 em cada 8 animais com câncer de cólon.”

Devido ao fato de que as fábricas secretam interleucina-2 diretamente do abdômen para os tumores, a resposta imune é muito mais direcionada do que com terapias padrão baseadas em citocinas. Além disso, especialistas dizem que esse método provavelmente eliminará muitos dos efeitos colaterais das terapias atuais.

As fábricas de medicamentos consistem em células que produzem interleucina-2, envoltas em bainhas protetoras que impedem o corpo de reconhecê-las como uma ameaça imediata. Como resultado, essas células permanecem no corpo do paciente e funcionam normalmente por 30 dias. Eventualmente, o sistema imunológico os destrói.

FONTE iflscience