Início Ciência Injeção para emagrecer é aprovada pela Anvisa: saiba tudo sobre a novidade

Injeção para emagrecer é aprovada pela Anvisa: saiba tudo sobre a novidade

1439
0

Atualmente, estima-se que aproximadamente 100 milhões de pessoas tenham sobrepeso e 41 milhões convivam com a obesidade no Brasil.  Mas há uma notícia boa nessa área da saúde: um novo medicamento que trata a obesidade.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta segunda-feira (2) o primeiro medicamento injetável que irá tratar o sobrepeso e a obesidade. O medicamento se chama Wegovy (semaglutida 2,4mg) e o aval foi baseado nos resultados do programa de ensaios clínicos STEP (Semaglutide Treatment Effect in People with Obesity).

Segundo o estudo feito para o desenvolvimento do medicamento, com a aplicação semanal é possível reduzir até 17%  do peso corporal dos pacientes em 68 semanas.

Muitos ainda estão confusos pelo fato de a molécula semaglutida já estar disponível no mercado brasileiro desde 2018, mas neste caso ela serve para o tratamento da diabetes tipo 2, com o lançamento de Ozempic. Apesar de serem aplicações diferentes – a Ozempic e Wegovy – pode-se obter também através da Ozempic uma redução de peso corporal. O médico endocrinologista Francisco Bandeira ressalta que a diferença entre Ozempic e Wegovy está na dose e no formato dos dispositivos (canetas de aplicação da medicação).

“O Wegovy é mais moderno e tem a aplicação facilitada porque cada agulha é embutida. O dispositivo de aplicação é mais moderno. Ao encostar na pele, a dose certa é aplicada”, explica Francisco Bandeira. 

“Quanto à dose, o Wegovy pode chegar a 2,4mg por semana; o Ozempic a 1mg por semana. Logo, deve ser individualizado de acordo com a situação de cada paciente”, acrescenta o endocrinologista. 

QUANTO CUSTA A INJEÇÃO SEMAGLUTIDA?

Ainda não há uma data definida para que ele chegue ao mercado, pois após a análise de conformidade pela Anvisa, deve-se aguardar a finalização de outros processos, como a definição de preços pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

“Com essa aprovação, entramos oficialmente numa nova era no tratamento da obesidade, com resultados de redução de peso nunca antes vistos”, reforça o médico endocrinologista Bruno Halpern, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso).

Durante os ensaios clínicos, Wegovy apresentou eventos colaterais leves e transitórios. Entre eles, os mais comuns são gastrointestinais: náuseas, diarreia, vômitos, constipação e dores abdominais.

E por último: Wegovy (semaglutida 2,4mg) não é recomendado para grávidas ou pessoas que estejam amamentando.

Texto originalmente publicado em jc.ne10 e adaptado pela equipe do blog Educadores.