Início Bem estar Estudo assustador indica: estalar o pescoço pode, sim, levar a óbito

Estudo assustador indica: estalar o pescoço pode, sim, levar a óbito

695
0

Você é um daqueles que para relaxar tem o costume de estalar o pescoço? Pois acho bom você repensar seus hábitos: um estudo recente e assustador indica que estalar o pescoço pode te levar a morte.

Josh Hader estava sentindo um desconforto no pescoço há algumas semanas. Lembrou então de uma técnica que aprendeu e que normalmente relaxava os músculos no local: o estalo de pescoço.

“Eu fui esticá-lo e quando eu estava usando minha mão para aplicar um pouco mais a pressão do que deveria, ouvi um estalo”, contou o homem de 28 anos.

Ao tentar estalar, no entanto, foi surpreendido com um desconforto muito maior: em menos de 1 hora, ele estava na emergência do hospital, sem conseguir andar. Os médico então definiram que Hader estava sofrendo um derrame causado por uma lágrima em uma artéria no pescoço que formou um coágulo.

“Ele poderia ter morrido”, disse Vance McCollom, médico do Mercy Hospital em Oklahoma City. Segundo o doutor, ele rasgou sua artéria vertebral que é uma das principais artérias que liga o pescoço ao cérebro.

Segundo Kazuma Nakagawa, diretor médico do Comprehensive Stroke Center no The Queen’s Medical Center em Honolulu, é raro ter esse tipo de evento ao estalar o pescoço, no entanto o caso não foi inédito.  “As pessoas só precisam saber que a dor súbita no pescoço pode potencialmente ser o ponto de partida de um derrame”, disse.

Praticamente na mesma hora que Hader estalou o pescoço, sentiu seu lado esquerdo ficar dormente. Ele concluiu que devia ter deslocado um nervo e foi buscar gelo.

“Quando eu estava andando para a cozinha, eu literalmente podia andar apenas em um ângulo de cerca de 45 graus. Eu literalmente não conseguia andar em linha reta. Estava quase andando de direta para a esquerda”, explicou.

Quando chegou a emergência, guiado pelo sogro, Hader não conseguia mais andar.

Ao confirmar o derrame, o médico viu que Hader precisava receber uma droga conhecida como ativador do plasminogênio tecidual, ou tPA.

“Eu me lembro de me sentar lá e ouvir o médico gritar que eles tinham 12 minutos para administrar o tPA. Isso foi quando eu perdi as esperanças”, relata Hader.

Com a ajuda da fisioterapia, felizmente Hader conseguiu voltar ao normal dentro de algumas semanas.

“Durante as últimas duas semanas, eu pude ajudar muito mais a casa. Fazer tarefas regulares ou ajudar a cuidar dos nossos filhos de 1 ano e 5 anos de idade. Antes eu era bastante inútil”, contou.

“Eles são realmente muito mortais”

No caso de Josh, ele teve grande sorte. Segundo o médico, esses estalos podem ser realmente muito mortais. Nakagawa explica que um rasgo na artéria vertebral impacta a artéria basilar e pode ser fatal ou deixar a pessoa em estado vegetativo para sempre. Em 2016, Katie May, uma modelo de 34 anos, morreu depois de um derrame causado por um nervo comprimido no quiroprático.

Vamos cuidar melhor esse hábito de estalar o pescoço, hein?

Texto originalmente publicado em fatosdesconhecidos e adaptado pela equipe do blog educadores.