Início Educação Estratégias para crianças inquietas em sala de aula

Estratégias para crianças inquietas em sala de aula

8443
0

Os professores enfrentam e administram diversos problemas em sala de aula todos os dias, e um dos mais delicados é quando ele tem alunos inquietos e hiper agitados, que não conseguem ficar parados ou falam o tempo todo.

Vale lembrar que estas inquietações podem acontecer por inúmeros motivos e a criança deve ser encaminhada para uma avaliação com especialista para vir ou não a ter a comprovação, mas enquanto não tiver alguma avaliação definitiva onde o uso de medicação(ou não) possa ajudar na concentração destes alunos, algumas medidas podem e devem ser tomadas para que o professor consiga administrar suas aulas e não tratar aqueles alunos como indisciplinados.

A Hiperatividade pode afetar qualquer pessoa em qualquer faixa etária, porém, geralmente ela é detectada na fase escolar, onde o professor fica com este aluno por quatro horas e pode observar alguns sinais, entre eles: a atenção (ou falta dela), o controle das atividades motoras e os impulsos.

Dustin Sarver, especialista na área de THDA, afirma que quando as crianças se agitam em sala de aula ou em qualquer lugar, aumentam a atenção, o que pode permitir que elas tenham um desempenho melhor nas atividades propostas. O Journal of Abnormal Child Psychology publicou um estudo onde aconselha que, para as crianças com distúrbios de atenção, movimentar-se pode ajudar nas atividades que requerem mais foco.

Os pesquisadores entregaram uma sequência de letras e números aleatórios a um número pequeno de crianças com idades entre 8 e 12 anos, onde elas tiveram que repetir os números na ordem e também a última letra do grupo. As crianças, para realizar esta atividade, estiveram sentadas em cadeiras giratórias. O que se observou: as crianças que tinham sido diagnosticadas com TDAH (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade) viraram e moveram suas cadeiras e isso representou uma conexão direta com seus desempenhos. Em contrapartida, as crianças que não tinham sido diagnosticadas, quanto mais moveram e viraram suas cadeiras, piores foram os seus desempenhos.

Diante destes testes e de mais outros que foram realizados, alguns professores decidiram trazer a público algumas sugestões criativas para acomodar seus alunos que precisam se movimentar, sem que isso afete o andamento de toda a classe escolar. Conheça estes simples e eficazes métodos:

1 Faixas elásticas sob o classe.
Amarrar um elástico largo, ou material equivalente, de um lado a outro da classe escolar, como mostra a figura abaixo, onde a criança pode colocar os seus pés e movimentá-los enquanto estiverem aprendendo. Método considerado muito simples e eficaz.

2 Bolas de ioga.
Usar como cadeiras alternativas, claro que isso depende também da verba das escolas, se são públicas, as bolas de estabilidade, encontradas geralmente em academias de Ioga ou em salas de Pilates, onde os alunos podem sentar e saltitar, se sentirem necessidade, enquanto estão na sala de aula realizando suas atividades costumeiras.

3 Bolas anti-stress.
Objetos que os alunos possam apertar enquanto estão realizando suas atividades também contribuem para que eles continuem sutilmente realizando movimentos enquanto fazem seus deveres. No mercado há bolas anti estresse para venda ou podem ser confeccionadas em casa mesmo.

4 Posições em pé.
Alguns professores já adotam com seus alunos a prática de deixarem seus alunos do TDAH fazerem as atividades em pé, nos fundos da sala. Eles podem então se movimentar, pular e bater os pés sem perturbas as demais crianças. A escola pode adquirir mesas altas onde as crianças possam realizar suas atividades sem ficarem sentadas todo o tempo.

5 Localização estratégica e quebras de movimento.
Uma sugestão é deixar os alunos mais inquietos sentados nas pontas das mesas de trabalhos e nunca nos cantos onde não possam se movimentar. A sugestão também é de que sempre seja feita uma pausa entre uma atividade e outra para que todos os alunos possam relaxar por uns minutos.

6 Tricotar mandalas ou apanhadores de sonhos.
Sugestões como o tricô podem contribuir para que as crianças sintam-se mais calmas. Nas faculdades Waldorf essa prática é ensinada sempre. Os alunos também podem realizar atividades com os dedos, sem necessidade de agulhas.

7 Apontar os lápis.
Alguns professores permitem que seus alunos com THDA levantem mais de seus lugares para poderem ir a lixeira apontar o lápis.

8 Mandalas para colorir.
Ótima opção são os livros de colorir, indicado também para os adultos quando estão estressados. Alguns estudos apontam que esta atividade de colorir é bastante útil para administração do estresse.