Início Destaque Crianças hiperativas e síndrome de TDAH Como reconhecê-los?

Crianças hiperativas e síndrome de TDAH Como reconhecê-los?

259
0

Alguns casos em que o movimento constante e o desejo contínuo de brincar ou agir das crianças é um sinal de um transtorno, chamado Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, mais conhecido como TDAH.

Estudos recentes mostram que é um transtorno generalizado que afeta aproximadamente 4% das crianças em idade escolar e pré-escolar , principalmente meninos.

O que é TDAH e como você pode reconhecer uma criança hiperativa?

A sigla TDAH é de origem inglesa e, em sua totalidade, significa Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade . O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade foi  definido cientificamente recentemente, cerca de vinte anos atrás nos Estados Unidos, por meio de uma publicação intitulada ” Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais no DSM III ¹ “.

Essa discussão permitiu que muitos países europeus, incluindo a Itália, classificassem vários sintomas frequentemente subestimados em um quadro clínico unitário e iniciassem pesquisas específicas sobre o problema.

O TDAH demonstrou ser um distúrbio neuropsíquico causado pela alteração de algumas áreas do cérebro; em particular, o córtex pré-frontal direito e os dois gânglios basais, que em indivíduos com TDAH são mais estreitos do que o normal.

Isso não significa que as crianças hiperativas sejam portadoras de deficiência intelectual , pelo contrário, muitas vezes apresentam inteligência acima da média.

Porém, essa inteligência é acompanhada por dificuldades de autocontrole e incapacidade de manter a atenção por muito tempo.

Em termos práticos, o cérebro das crianças hiperativas é bombardeado diariamente por impulsos e informações que tentam processar, mas que inevitavelmente as tornam impulsivas, desordenadas, desatentas e hipercinéticas.

Como lidar e conviver com uma criança com TDAH?

Lidar com crianças hiperativas é uma tarefa difícil. Nem sempre há paciência para o jeito desordenado, impulsivo, das crianças. Mas é importante lembrar que esses comportamentos não devem ser repreendidos, pois isso só os faria se isolar mais das pessoas, se sentindo inseguros.

Seja firme e assertivo. As regras devem ser poucas, simples e bem definidas para que as crianças saibam exatamente o que fazer e possam focar pelo menos no objetivo a ser alcançado.

Frases ameaçadoras como ” faça isso de novo e você verá o que acontece com você ” só terão o efeito oposto ao esperado. Na verdade, as crianças hiperativas interpretam literalmente o que lhes é dito e, portanto, um convite retórico para repetir uma ação imprudente será aceito como uma espécie de desafio a ser superado.

Em vez disso, explique em poucas palavras a maneira correta de agir em uma determinada situação, e se as crianças se distraem com mais estímulos ao seu redor, deve-se perguntar se elas entenderam e, eventualmente, repetir a fala.

Se insistirem em não  seguir as diretrizes, é inútil ameaçá-los. Se não cumprirem seu dever, podem ser privados de um brinquedo que amam; Desta forma, passa a mensagem de que para cada ação errada há uma consequência negativa. 

Como o TDAH pode ser tratado em crianças?

O TDAH é um distúrbio predominantemente genético que geralmente precisa ser diagnosticado dentro dos sete anos de idade. É bom observar o comportamento da criança, e se ela for hipercinética, como gestos excessivamente impulsivos ou dificuldade de concentração, é bom levá-la ao psiquiatra infantil.

Se a síndrome de TDAH for diagnosticada de forma eficaz, é necessário apoiar a criança com atividades psicomotoras que ensinem como controlar melhor os comportamentos e emoções, ou optar por uma intervenção farmacológica leve.

Texto originalmente publicado em menteasombrosa e adaptado pela equipe do blog Educadores.