Início Destaque Confusão e perda de memória podem indicar epilepsia

Confusão e perda de memória podem indicar epilepsia

199
0

Na velhice, dependendo da região do cérebro envolvida e do grau de superexcitação, uma crise epiléptica pode causar sintomas diferentes . Isso pode ser uma turvação temporária da consciência, como um olhar fixo, um bloqueio da fala ou até mesmo uma perda temporária de memória ou confusão.

Em comparação com pessoas afetadas mais jovens, as chamadas ‘ crises generalizadas ‘, que estão associadas a perda de consciência, convulsões e espasmos , são menos prováveis ​​de ocorrer em pessoas mais velhas .

Outros sintomas possíveis são paralisia ou desconforto transitórios, e dores comuns como dor de cabeça e dores musculares. Os idosos muitas vezes (a grande maioria das vezes) não reconhece esses sintomas como sintomas de epilepsia.

Ter epilepsia tardia requer um exame médico

O início da epilepsia tardia geralmente requer esclarecimentos diagnósticos abrangentes. Neste caso, por exemplo, outras causas de disfunção cerebral temporária devem ser excluídas , especialmente distúrbios da circulação cerebral de curto prazo, tontura, enxaqueca ou efeitos colaterais de medicamentos.

 Entre 3 e 10 por cento dos pacientes com AVC desenvolvem esta doença após um AVC, porque cicatrizes e, às vezes, produtos de degradação do sangue também permanecem no cérebro. 

A epilepsia também é tratável na velhice

Mas a boa notícia é que a epilepsia também pode ser tratada nos idosos: , levando em consideração as peculiaridades da idade, hoje, principalmente com os antiepilépticos modernos, facilita o tratamento.

Como regra geral, a dose dos respectivos medicamentos devido ao comprometimento do metabolismo na velhice é muito menor do que em pacientes mais jovens. O uso regular de medicamentos antiepilépticos é particularmente importante para o sucesso da terapia.

A epilepsia atinge a maior incidência na velhice. A epilepsia é a terceira doença mais comum do sistema nervoso na velhice, depois da demência e do derrame.

Texto originalmente publicado em menteasombrosa e adaptado pela equipe do blog Educadores.