Início Saúde Conheça os danos que os antiácidos podem causar ao seu organismo a...

Conheça os danos que os antiácidos podem causar ao seu organismo a longo prazo

646
0
Person pouring out pills on hand. pill doctor hand pour capsule bottle closeup pills concept

Fique atento aos malefícios do uso diário de antiácidos

Você já deve ter ouvido a seguinte frase: “É melhor prevenir do que remediar”. E de fato, muitas pessoas levam isso muito a sério e ingerem, antes de sofrer com o incômodo da azia ou gastrite, medicamentos antiácidos fortes. Mas, ao ingerirmos certos antiácidos, devemos ficar atentos aos seus malefícios.

Os antiácidos não age como um protetor gástrico, mas sim inibe a produção de ácidos gástricos muito importantes para a digestão e neutralização de micróbios.

O fator preocupante é que as pessoas, para evitar problemas relacionados com a gastrite, passam a ingerir este medicamente diariamente, sem ter o conhecimento  que após dois anos de consumo diário  a absorção da vitamina B12 pelo nosso organismo é prejudicada, ocasionando um déficit nutricional que pode ocasionar doenças como anemia, depressão, demência ou danos neurológicos .

A pessoa perceberá as mudanças somente quando o cansaço e a fraqueza se tornarem frequentes.

Além disso, a vitamina B12 está relacionada com a produção de glóbulos vermelhos e atua nos processos ao nível do sistema nervoso central.

Também em relação ao uso diário e constante do medicamento, foi constatada de maneira científica e comprovada, uma diminuição na absorção de cálcio, o que ocasiona, em casos graves, maiores chances de sofrer com fraturas.

“Também tem sido relacionado a um aumento de infecções respiratórias em adultos mais velhos, mas isso não é mais devido à falta de vitamina, mas porque o ácido (do estômago) dá alguma proteção contra bactérias e como a droga é uma barreira contra o ácido, estamos mais exposto a eles “, mencionou Mónica Hidalgo, médica em farmácia do Centro Nacional de Informações sobre Medicamentos (Cimed) da Universidade da Costa Rica (UCR).

Em uma pesquisa científica recente, se observou a relação do uso desse medicamento e de outros similares com a deficiência de B12, estudando cerca de 26 mil pacientes que tiveram diagnóstico de deficiência dessa vitamina.

Foi descoberto que as pessoas que realizaram um tratamento, ingerindo um comprimido por dia, durante dois anos, desenvolveram um risco 65% maior de deficiência de B12, enquanto aquelas que tomaram um comprimido e meio por dia, o risco aumentou para 95%.

É importante ressaltar que somente um especialista deverá receitar este medicamento e somente o mesmo poderá descontinuar o seu uso.

Fonte: naxio