Início Comportamento Como disciplinar o seu filho e estabelecer limites

Como disciplinar o seu filho e estabelecer limites

2477
0

A criança precisa entender a ordem para que possa cumpri-la de forma pacífica.

Toda criança precisa saber até onde e até que ponto ela pode ir. Para que isso aconteça é necessário uma educação com disciplina. Devemos ter pulsos firmes na hora de educar nossos filhos. Se apresentarmos a eles uma regra que deve ser cumprida, eles a cumprirão pois estarão visando agradar aos pais.

Os pais não estão totalmente preparados para determinar regras. O que acontece é que acabamos por colocar emoção demais e, por muitas vezes, não deixamos claro a nossa autoridade. Então abaixo constam alguns conselhos que poderão ajudar na hora de educar:

Dê a ordem com clareza

Muitas vezes acabamos dando ordens, aos pequenos, que podem não ser bem entendidas.

Ex: “Se comporte!”

Seria muito mais objetivo se, ao invés de dizer para a criança se comportar, você dissesse: “Não pode gritar no cinema. É preciso ficar quieto e não falar para que todos possam ver o filme.”

Desta forma a criança entenderia com clareza a ordem dada e entenderia também o motivo.

Permita que a criança participe daquilo que ela precisa fazer

Sempre que possível permita que a criança opine, dentro das escolhas dos pais, sobre como ou onde ela poderá fazer aquilo que precisa ser feito. Por exemplo, quando for tomar banho, pergunte a ela se sua preferência é pelo banho frio ou banho quente. Quando for colocar a roupa, de 3 opções a ela para que ela escolha qual colocará. Desta forma, a criança sentirá que tem algum poder de escolha e se fará menos relutante em obedecer.

Seja firme com as ordens que você dá

Quando sentir necessidade de dar a famosa “bronca” seja firme e deixe claro qual o seu aborrecimento e porque você se sente aborrecida. Suas ordens devem ser imediatas e sérias. Mantenha a sua voz segura, sem gritar, porém mantendo o tom de voz mais firme, além de permanecer o contato visual com a criança.  

Quando você dá ordens rindo, com um tom mais suave ou sem manter contato visual, a criança não se sente intimidada e entenderá que poderá fazer a escolha de obedecer ou não. Também não dê ordens como uma pergunta ou como algo que você gostaria que acontecesse, como por exemplo: “Por que você não arruma o seu quarto agora?” ou “Eu gostaria muito que você fosse tomar o seu banho”. Sugerir não é ordenar.

É importante ressaltar que a criança pode e deve ser incentivada a tomar atitudes por sua vontade ao invés de apenas receber ordens. Fazer sugestões a criança, dando a ela liberdade de escolha, é muito importante para que ela cresça com autonomia e independência. Além disso, sugerindo atitudes de forma mais leve, fará com que se tenha uma cumplicidade entre os pais e o filho.

Diga o que deve ser feito ao invés que dizer que não pode

A criança irá aceitar melhor obedecer quando, para ela, a ordem for clara e sem a proibição sem sentido. Diga a ela o que ela DEVE FAZER ao invés de pedir para que ela NÃO faça isso ou aquilo.

Exemplo:

Diga: “Fale baixinho pois falar alto atrapalha as outras pessoas.”

Ao invés de: “Pare de gritar!”

 Crie regras que ela entenda e perceba por si só o que deve ser feito

Quando damos uma ordem fria sem a criança entender o motivo, ela automaticamente vai relutar a obedecer. Precisa ter sentido obedecer para que ela o faça de bom grado. Então é importante que você explique sempre o motivo pelo qual ela precisa fazer determinada coisa.

Exemplo:

Diga: “São oito horas da noite, então é hora de ir dormir.”

OBS: Ensine a criança que ela deve dormir às 8h da noite, por exemplo. Ensine os horários a ela para que ela saiba identificar por si só. Assim ela saberá que de fato são oito horas e que ela precisa ir dormir. Portanto há uma combinação.

Ao invés de: “Vá dormir!”

OBS: Para a criança pode não haver sentido nesta ordem. Ela entende que pode ser uma afirmação falsa e que apenas querem que ela vá dormir. Isso não foi combinado.

Sempre explique o porquê daquela ordem

Quando a criança entende o motivo pelo qual aquela ordem foi dada, ela se sentirá segura em obedecer. Isso trará mais segurança a ela e menos relutância. Além disso, entender o motivo das coisas irá fortalecer os seus valores internos, a farão ter empatia, consciência e as ajudarão a conviver em sociedade.

Entender que não deve morder o colega porque isso o machuca fará sentido para a criança. Logo ela não deverá morder.

Ensine a criança a ver o lado bom das coisas

Sempre que for limitar a criança em alguma situação, mostre a ela que há outras opções. Desta forma a criança sentirá que ainda possui alguma vantagem.

Exemplo:

Diga: “Este batom é da mamãe e é apenas para usar na boca. Em troca tem estes lápis coloridos e o papel para que você possa desenhar.”

Tenha cuidado em ser flexível demais com as regras

O combinado deve ser mantido e caso houver a necessidade de descumpri-lo deverá acontecer de vez em quando e não sempre. Caso o descumprimento seja frequente a criança entenderá que esta ordem não é necessária e tentará sempre contornar aquilo que foi pedido.

Um bom exemplo é a hora de ir dormir. Se o combinado é dormir às 8h, então deve ser cumprido. Se um dia a criança for dormir às 8h30, no outro dia às 9h e isso ocorrer com frequência, a criança entenderá que ela tem poder na escolha e não você.

Caso você perceba que para a criança o melhor é dormir mais tarde do que foi combinado, então você deve mudar o combinado primeiro, conversando com a criança sobre a mudança e aplicar, sem descumprir.

Desaprove o ato e não a criança

Quando a criança faz algo de errado e ficamos brabos com a sua atitude, devemos fazê-las entender que a desaprovação é em relação a sua conduta e não com ela. A criança deve se sentir amada e acolhida ao mesmo tempo em que sua atitude é repreendida.

Jamais use palavras como “Criança má”. Não devemos nos referir a criança e sim aquilo que ela fez e desaprovamos.

Mantenha suas emoções sob controle

Não permita que você aja de forma impulsiva agredindo a criança verbalmente ou fisicamente. Respire fundo e conte até 10 se for preciso. Pense com calma em qual medida deverá ser tomada em relação ao acontecido e como a criança irá aprender e entender aquilo que você quer que ela aprenda e entenda.  

Lembre-se que disciplinar o seu filho exige paciência para que se possa educar da melhor forma possível, de forma pedagógica e clara.