Início Ciência Sintomas característicos de um psicopata: você sabe quais são?

Sintomas característicos de um psicopata: você sabe quais são?

3566
0

A psicopatia é um transtorno de personalidade que normalmente vem associado a serial Killers. Mas essa associação é um pouco equivocada pois, embora assassinos sejam psicopatas, muitos dos psicopatas também estão inseridos no meio social sem cometer esses crimes.

Isso ocorre por que um psicopata possui muitos outros sintomas além de crimes: se caracterizam por não ter sentimentos, serem pessoas mais frias e calculistas, não sentem culpa ou vergonha, e possuem um certo déficit no controle de impulsos.

Saber identificar alguns traços de personalidade de um psicopata é importante quando estamos nos relacionando com diversas pessoas diferentes por aí. Além de desconhecidos, também é essencial notarmos os sinais desse tipo de problema em pessoas mais próximas, como membros da nossa família e grupos de amigos. Por se tratar de uma condição de saúde psicológica, deve ser monitorada e tratada e quanto antes se perceber este comportamento, melhor para a pessoa que o possui e para quem o rodeia.

Existe um estudo muito interessante feito pelo doutor em psicologia Robert Hare. Ele desenvolveu uma lista chamada The Hare Psychopathy Checklist que contém características associadas ao psicopata, com o objetivo de identificar melhor pessoas com esse distúrbio. Seu estudo foi focado em psicopatia com criminosos, e durou mais de 4 décadas. No início, sua lista foi feita para descobrir quanto tempo um criminoso deve permanecer na prisão, e o grau de características de psicopatia que um individuo possui foi decisivo na determinação desse tempo.

SINTOMAS DE UM PSICOPATA, DE ACORDO COM HARE

Sociabilidade e charme superficial

São pessoas extrovertidas, tem facilidade em comunicação. São espirituosas e inteligentes, charmosos e educados. Não sentem vergonha de socializar, são solidários em ter escuta ativa. Parecem boas características num perfil normal. Mas quando se une a outros sintomas, mostra o perfil de psicopatia: sendo extrovertidos assim, costumam fingir empatia para desenvolver confiança das pessoas, para depois manipulá-las.

O psicopata faz as pessoas acreditarem que ele tem conhecimento sobre muitas coisas, quando na verdade seu conhecimento é bem superficial. Atraem confiança e depois manipulam. Fazem com que os outros se sintam seguros perto deles.

Grande auto-estima

Psicopatas tem um ego bastante inflado. Se enxergam como pessoas superiores às outras, acham que sabem mais, que podem mais e que têm mais direito que os demais. Jamais se consideram socialmente mal sucedidos, são teimosos e arrogantes. Toda situação difícil que enfrentam costumam culpar fatores externos, nunca é responsabilidade deles.

Tendência ao tédio

Pessoas com esse distúrbio costumam não finalizar tarefas pois não mantém o foco, se entediam muito facilmente. Com isso, também acabam não durando muito tempo no mesmo trabalho, não concluem tarefas rotineiras, acham difícil prestar atenção no discurso dos outros pois acham monótono. A verdade é que a psicopatia faz a pessoa ter necessidade de correr riscos constantemente, o que leva a pessoa a se cansar de uma tarefa repetitiva quando ela já não tem mais aquele “brilho”. Necessitam o tempo inteiro de coisas novas, de experimentar oportunidades diferentes.

Mentira patológica

São pessoas que mentem. Alguns de maneira engenhosa, contam histórias convincentes. Outros chegam a ser ridículos, tentando ser trapaceiros, manipuladores e inescrupulosos.

A mentira e a enganação é parte fundamental da relação de psicopatas com os outros. Possuem uma facilidade imensa em mentir, e não sentem culpa por isso. Contam suas histórias com detalhes, para parecer o mais verídica possível.

Exploração  sem limites

Além de enganar as pessoas como dito anteriormente, psicopatas podem chegar a serem cruéis na sua manipulação. Acabam explorando as pessoas sem escrúpulos, obtendo ganhos pessoais a todo o custo. Fraudam pessoas com frequência.

Falta de remorso ou culpa

Pessoas psicopatas não tem sentimentos de culpa ou remorso com as vítimas. São frios, não empáticos, não se preocupam com nada além dos seus objetivos. Com total desprezo aos outros, alguns até pensam que “é tolice não tirar proveito das fraquezas dos outros”. Em algumas situações, podem até verbalizar a culpa para demonstrarem empatia, mas não passa de manipulação.

Fracos sentimentalistas

Psicopatas podem até se socializar muito bem, mas são frios. Raramente há uma emoção e ligação muito forte entre um psicopata e outra pessoa, pois ele não costuma se importar com nada. Não nutre sentimentos intensos por relações pessoais. Por serem incapazes de sentir, são incapazes de demonstrar, e quando demonstram acaba sendo falso e superficial. O que o psicopata é mais capaz de sentir são sentimentos negativos como raiva, autopiedade, ressentimento, etc.

Estilo de vida parasita

Psicopatas, muitas vezes, acabam vivendo de maneira exploradora. Dependem dos outros de maneira intencional, manipulam as pessoas e usufruem da boa vontade delas em ajudar. A falta de motivação, disciplina e baixa capacidade de assumir responsabilidades são razões para essa dependência.

Podem usar até mesmo ameaças para continuar dependentes da família, ou se fazer de vítima para permanecer com o apoio necessário.

Déficit no controle emocional

Como dito antes, o que psicopatas costumam expressar são sentimentos como raiva, desprezo, ressentimento, etc. Quando sentem isso, acabam expressando de maneira avassaladora, tendo muito pouco controle sobre essas emoções. São os raros momentos em que podemos identificar a verdadeira face daquela pessoa.

Comportamento romântico forçado

Psicopatas apresentam histórico de tentar forçar pessoas a manterem relacionamento com elas. Se sentem orgulhosos de suas conquistas amorosas, como se a pessoa fosse um mero produto, ou uma propriedade sua. Relacionamentos abusivos possuem pessoas com este perfil.

Problemas comportamentais desde cedo

Pessoas com esse distúrbio começam a apresentar problemas de comportamento logo antes dos 13 anos. Roubam, mentem, praticam bullying  e até vandalismo.

Falta de objetivos realistas a longo prazo

Como não conseguem manter foco por muito tempo e estão sempre testando novas oportunidades, também não conseguem objetivar algo realista a longo prazo. Normalmente não se enxergam da mesma forma nem 5 minutos depois. Estão em constante movimento, mudando de opiniões de acordo com seus novos propósitos e estratégias.

Impulsividade

Psicopatas não costumam pensar muito naquilo que fazem. Exaltam apenas a vontade de fazer, não pensam nas vantagens e desvantagens. Isso acaba gerando frustrações quando as coisas não dão exatamente como queriam, e por consequência brigas com as pessoas ao redor.

Irresponsabilidade

Como não raciocinam sobre as consequências dos seus atos, vantagens e desvantagens daquilo que procuram, acabam por se tornarem pessoas irresponsáveis. Sendo impulsivos, agem conforme sua vontade e não pensam no que pode resultar.

Relações breves

Dada a incapacidade de manter objetivos a longo prazo, também não conseguem manter relacionamentos duradouros. Acabam sendo breves, sem grande apego e importância.

Versatilidade criminal

Por fim, psicopatas podem ter uma ficha criminal bem distinta. Podem ter cometido os mais diversos crimes, justamente por que estão sempre querendo se arriscar em coisas diferentes. Eles, inclusive, tem orgulho dos crimes que cometeram.

Texto originalmente publicado em lifeder e adaptado pela equipe do blog educadores.