Início Comportamento Onicofagia: o péssimo hábito de roer as unhas

Onicofagia: o péssimo hábito de roer as unhas

599
0

A mania de roer unhas pode se tornar tão comum que a pessoa que a pratica não tem consciência do que está fazendo, até sentir a dor e, no caso de crianças, até que a mãe chame sua atenção e mande que ela pare.

Como acontece com todos os hábitos, ao fazê-los regularmente, isso fará com que, mesmo que tenham a intenção de eliminá-lo; distraidamente, eles recaem novamente.

Esse hábito incômodo é conhecido pelo nome de Onicofagia.

O que é onicofagia?

A onicofagia é definida como o hábito de roer as unhas (embora algumas pessoas tendam a roer a pele ao redor das unhas também) e é devido a uma resposta a algum estímulo emocional; que pode se manifestar em crianças e adultos.

Para algumas pessoas, esse pode ser apenas um hábito. Mas para outras, pode se tornar uma atitude compulsiva, de forma que roem os dedos até sangrar.

Quais são as causas mais comuns desse mau hábito?

Muitas vezes é apenas um hábito que pode ser mudado. Porém, há vezes em que esse problema tem raízes mais profundas. Como por exemplo:

1. Ansiedade ou transtornos de estresse

 Algumas pessoas optam por fumar, outras por mascar chicletes e outras simplesmente roem as unhas .

O ato de roer as unhas, então, se torna uma válvula de escape para liberar essa pressão , além de proporcionar a você um certo estado de prazer, mesmo que seja de curta duração.

2. Comportamento de imitação

Esse comportamento se limita as crianças.

Por natureza, todas as crianças têm a tendência de imitar as pessoas mais velhas de seu ambiente.

3. Vários fatores do tipo psicossomático

Os fatores psicossomáticos são muito diversos, o que torna quase impossível estabelecer um padrão, uma vez que muitas pessoas canalizam vários aspectos de sua vida praticando a onicofagia.

As pessoas também reagem com esse comportamento em casos de frustrações acumuladas, projeção de baixa autoestima ou em casos de timidez extrema.

Tratamento de onicofagia

Tudo dependerá da gravidade do problema.

Para  algumas pessoas, soluções tão simples podem ser aplicadas, como por exemplo pintar as unhas, utilizar algum creme ou até mesmo molhos picantes.

Nos casos mais graves, o tratamento pode exigir a inclusão de técnicas de modificação de comportamento; enquanto em outros ele desaparece espontaneamente.

Lembre-se de que, nesses casos, corrigir é mais fácil do que curar. Por isso, devemos evitar que o hábito se instale em nosso padrão de comportamento. A importância de corrigir as crianças que começam a roer as unhas é fundamental como método preventivo de onicofagia.

Texto originalmente publicado em menteasombrosa e adaptado pela equipe do blog Educadores.