Início Comportamento O que você acha de tatuagens em animais: estilo ou maus tratos?

O que você acha de tatuagens em animais: estilo ou maus tratos?

19869
0

Há quem use animais como forma de entretenimento. Conhecemos alguns exemplos, como as touradas, e até mesmos os antigos circos nas suas atrações. No entanto, além desses empregos comuns do animal como forma de diversão, há também aqueles que fazem coisas para melhorar a estética do animal, como cortar os rabos, o pelo e etc.

Mas você já viu animal tatuado?

Essa é a polêmica que envolve Eduardo Kac, artista brasileiro conhecido por modificar geneticamente a estrutura de um coelho para pintá-lo de verde. Outro exemplo desse mesmo estilo é o estudioso inglês Cohen Van Balen que inventou uma bactéria para que os pombos defecassem detergente em vez de fezes corrosivas.

O que por um lado parece revolucionário, por outro pode ser considerado maus-tratos. Hoje em dia, além dos exemplos citados, temos pessoas tatuando cães e gatos e até mesmo porcos!

Nesse momento é que nos questionamos: até que ponto vale a pena modificar a estética de um animal? Até que ponto isso pode deixar de ser considerado maus tratos?

Nós, seres humanos, podemos escolher o que fazer com nosso corpo. A tatuagem e os piercings são opções, escolhas que tomamos.

Com o animal não é da mesma forma: o bicho fica sujeito as nossas decisões e, mesmo detestando ou sofrendo, tem de aguentar a situação.

Alterar o corpo de um animal não é desnecessário? Pode ser, inclusive, doloroso.

Por que faríamos algo assim? Talvez temos que parar para repensar e tentar dividir o que é vaidade de necessidade.

Texto originalmente publicado em curiosidadesdaterra e adaptado pela equipe do blog educadores.