Início Bem estar O exercício diário pode reduzir o risco de Alzheimer

O exercício diário pode reduzir o risco de Alzheimer

249
0

O exercício diário pode reduzir significativamente o risco de doença de Alzheimer , de acordo com um estudo. Isso é possível até mesmo para pessoas com mais de 80 anos.

Pesquisadores do Rush University Medical Center (Chicago) mencionam, na edição online do American Neuro-Medical Journal da American Academy of Neurology, que mesmo os idosos que se exercitam regularmente e com algum esforço podem reduzir o risco de doença de Alzheimer.

Neste estudo, os pesquisadores passaram dez dias registrando continuamente a atividade física de 716 idosos com idade média de 82 anos, com um dispositivo especial no pulso. Nenhum dos participantes tinha demência neste momento.

Além disso, os sujeitos forneciam regularmente informações sobre suas atividades físicas e sociais. Nos próximos três anos e meio, 71 participantes adoeceram com a doença de Alzheimer. Os dez por cento dos participantes do estudo que eram mais inativos.

O estudo descobriu que os pacientes eram 2 a 3 vezes mais prováveis ​​do que 10% dos mais ativos. E entre os indivíduos cuja intensidade de exercício foi a mais baixa, o risco de Alzheimer foi 2,8 vezes maior do que no grupo principal dos participantes de exercícios mais intensos.

AUTOSSUFICIÊNCIA TAMBÉM NEUTRALIZA A DOENÇA

Não se trata apenas de pacientes que realizam exercícios físicos, mas também de atividades como cozinhar, lavar e limpar. Isso está associado a um menor risco de doença de Alzheimer, explica o autor do estudo, Aron S. Buchman.

Por isso…

MEXA-SE!

Qualquer pessoa que se move ajuda seu cérebro a tomar decisões difíceis e distinguir o que é importante do que não é importante.

E não precisa ser esportes de alto desempenho, pois o que interessa é que sejam atividades regulares.  O ideal são três horas de exercícios moderados por semana, idealmente todos os dias durante meia hora.

E nunca é tarde: mesmo aqueles que começam seu esporte apenas aos 75 anos podem interromper o declínio mental. 

Texto originalmente publicado em menteasombrosa e adaptado pela equipe do blog Educadores.