Início Comportamento “Não querer ter filhos não é crime” : O estigma contra mulheres...

“Não querer ter filhos não é crime” : O estigma contra mulheres que não são mães

619
0

“Quem vai cuidar de você na velhice?” e “Por que você não adota uma criança?” são as perguntas mais recorrentes quando você diz para alguém que não tem filhos. A roteirista Jaqueline Vargas diz  “É como se não ter filhos fosse uma tragédia”.

Além de perguntarem sobre ser mãe, as pessoas abusam questionando se ela tem algum problema de saúde. “A grande maioria tenta ajudar a resolver essa falta de filho. A possibilidade de simplesmente não querer ser mãe é uma das últimas que surgem e quase sempre para encerrar o assunto”, acrescenta.

A decisão de não ter filhos, conta a roteirista, veio aos poucos. A família nunca criticou sua decisão, mas também sempre incentivou a maternidade. A sociedade  sempre associou a figura materna a algo único, sagrado, imaculado: “o momento mais lindo na vida de toda mulher”, dizem… “Quando uma mulher abre mão de ser essa criatura sagrada para ser só uma mulher, como se isso fosse pouco, causa assombro. Afinal, sempre foi incumbida de várias funções, como cuidar da casa, dos filhos, dos idosos e por aí vai. A mulher como cuidadora de si mesmo é algo relativamente novo”, observa.

A jornalista Ana Paula Padrão publicou dia 12 de outubro de 2021: “Hoje é Dia das Crianças e não há crianças em casa. Eu não tive filhos. E, acredite em mim, a vida sem filhos não é uma vida vazia…”. Para surpresa da jornalista, o texto viralizou nas redes sociais. “Para mim, é um assunto muito natural. Mas percebi que destampei uma caixa de tabus. A repercussão me surpreendeu”, relata a apresentadora do programa MasterChef, da Band.

Ela ainda diz que  hoje em dia, entende que a vontade de engravidar estava mais relacionada à pressão social do que a um desejo pessoal.

No Brasil, 37% das mulheres em idade fértil (dos 15 aos 49 anos) não pensam em ter filhos em nenhum momento. E 81% não pensam em ter filhos pelo menos nos próximos cinco anos. Entre as entrevistadas, 56% estão em uma relação estável e 74% trabalham integral ou parcialmente. É o que diz a pesquisa realizada pela farmacêutica Bayer, com apoio da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) e do Think About Needs in Contraception (TANCO). 

“Ainda hoje, mulheres que não querem ter filhos são obrigadas a escutar que são egoístas ou questionadas se têm algum trauma psicológico”, constata a antropóloga Mirian Goldenberg.

Nos EUA, mulheres sem filhos ganharam termos próprios: “childless” e “childfree”. Childless são as mulheres que queriam ter filhos, mas nunca tiveram. E childfree, aquelas que optaram por não ter”, distingue a psicóloga Kate Kaufmann,  autora do livro Você Tem Filhos? — Como As Mulheres Vivem Quando a Resposta É Não (Editora LeYa).

“Não querer ter filhos não é crime”

A escritora Thalita Rebouças entendeu que não tinha vocação para ser mãe lá pelos 30 anos. “Foi uma decisão consciente”, afirma a apresentadora do The Voice Kids que, volta e meia, ouve a mesmíssima pergunta: “Você não se arrepende?”.

“Acho um tremendo absurdo! Dá vontade de perguntar a quem teve: ‘E você, se arrepende?’ Optei por não ter e não me arrependo. Por que a gente tem que ter filhos? Já reparou que ninguém cobra isso dos homens?”.

Além disso tudo, o talento de Thalita para escrever livros infanto-juvenis já foi colocado em dúvida pelo simples fato de não ter filhos. Rebouças explica que não queria abrir mão de sua vida noturna, quando gosta de varar a madrugada escrevendo livros e roteiros, para cuidar da prole.

“Não querer ter filhos não é crime. Pelo contrário. É uma decisão difícil. Uma decisão de amor ao mundo, de amor ao próximo e de amor a si próprio”.

Texto originalmente publicado em bbc e adaptado pela equipe do blog Educadores.