Início Comportamento Não grite com os seus filhos, por mais difíceis que eles sejam

Não grite com os seus filhos, por mais difíceis que eles sejam

660
0

Por mais que você ame seus filhos, eles podem deixá-lo com raiva, podem tirá-lo do prumo. É perfeitamente compreensível que às vezes você se irrite e queira simplesmente sumir por 5 minutos, ou que perca a paciência e grite com eles. Mas precisamos trabalhar esses aspectos para melhorá-los. É importante.

Não devemos deixar de falar com amor aos nossos filhos. Lembre-se de que as palavras têm um impacto psicológico direto, por isso às vezes podem deixar feridas profundas no coração dos pequenos, e até mesmo traumas que eles irão carregar pro resto da vida.

As crianças geralmente passam por estágios em que desenvolvem um comportamento mais desafiador. Nessas fases, as birras e o negativismo podem se tornar muito difíceis de administrar. No entanto, como pais, precisamos manter a calma e corrigir esses comportamentos com firmeza, mas com amor e respeito. 

Entenda: quando os pais perdem o controle e gritam, eles criam um muro que os afastam dos filhos. Maus comportamentos devem ser corrigidos, claro. Mas há maneira correta e agradável de se fazer isso.

Não basta que amemos os nossos filhos. Temos que saber administrar esse amor, expressá-lo da forma correta e coerente. E neste caso o diálogo é o melhor caminho.

Em 1987, um estudo psicológico realizado na Universidade de Calgary alertou que  “o abuso verbal pode se tornar uma forma cada vez mais comum de controlar e disciplinar crianças devido ao aumento da consciência das consequências do abuso físico” . Na prática, esses psicólogos perceberam naquele momento que os pais estavam mudando a forma de disciplinar os filhos, mas não as formas. Eles trocaram a surra física por uma surra verbal.

Educar nunca foi, nem nunca será, algo fácil

Muitas vezes, educar uma criança é educar a si mesmo. Os pais enfrentam o duplo desafio de criar um filho e continuar crescendo como pessoa. Para enfrentar os desafios da paternidade com sucesso, é necessário aprender a administrar seus próprios sentimentos.

Somente quando fizermos as pazes conosco e aprendermos a controlar a frustração, lidar com o estresse e administrar a raiva, poderemos nos tornar modelos de inteligência emocional para nossos filhos.

Depois de um grito só resta o medo e depois de um rótulo negativo uma ferida que vai demorar a cicatrizar. Por isso é importante fazer com que as crianças entendam seus erros e sigam as regras, mas sempre com amor incondicional expressado no diálogo. Sempre no diálogo.

Sabemos não se tratar de tarefa fácil, mas praticando com certeza você chegará cada dia mais perto da sua melhor versão como pai e mãe. Acredite.

Texto originalmente publicado em seuamigoguru e adaptado pela equipe do blog Educadores.