Início Comportamento Estamos criando jovens que não têm habilidades básicas de vida doméstica?

Estamos criando jovens que não têm habilidades básicas de vida doméstica?

67
0

Trazer de volta a economia doméstica porque nossos filhos não têm habilidades básicas para a vida

Cozinhar, limpar e jardinar são tão importantes quanto ler, escrever e aritmética.

Recentemente, vi um artigo sobre trazer a economia doméstica de volta às escolas. Embora a ideia pareça boa, os pais precisam aceitar que as velhas formas de educação não vão voltar tão cedo ou de jeito nenhum.

Também precisamos perceber que colocar toda a pressão sobre as escolas para produzir pessoas produtivas e significativas na sociedade é imprudente.

Enquanto a maioria das crianças está presa ao distanciamento social em casa, agora é a hora de ajudar a prepará-las para o mundo “real”.

Ensinar às crianças o valor da moeda, fazer orçamentos, limpar e saber cozinhar também não precisa esperar até o ensino médio.

Existe uma nova geração se casando e formando família cujos custos fixos são estratosféricos, comparado aos dos lares que acabaram de deixar. E isso num mesmo nível de conforto de seus pais, ou até inferior. As novas famílias optam pelo delivery ao invés de fazerem suas próprias refeições, pela lavanderia ao invés de lavarem e passarem sua próprias roupas e também pela diarista para realizar as tarefas básicas do lar.

Eles podem começar cedo realmente. Basta deixá-los rastejar em um ambiente natural ao ar livre, como o seu jardim.

Isso não apenas ajudará a desenvolver seu microbioma, mas também os acostumará a saber de onde vem sua comida e, eventualmente, esperançosamente, como cultivá-la.

Quando os bebês se transformam em crianças pequenas, o jardim em que eles estavam engatinhando agora está pronto para a colheita. Peça-lhes que vasculhem e retirem todas aquelas batatas que você acabou de aprender a cultivar. Ou aquela cebolinha que você plantou a partir de uma cebola brotada.

Quando eles estiverem prontos para a escola, continue desenvolvendo as habilidades que você já apresentou a eles.

Eles podem ajudar a cozinhar colocando coisas do jardim em potes e panelas e tendo uma boa sensação da cozinha. Eles também podem ajudar a dobrar e guardar a roupa.

No ano seguinte eles devem aprender a usar uma faca de cozinha e agora algumas habilidades básicas de cozinha. E, mais importante, como limpar e guardar a louça.

Se você começar cedo o suficiente, por volta dos 10 anos, eles já saberão como contribuir na casa e na comunidade.

Um conhecimento básico de economia doméstica ajudará bastante as pessoas a se tornarem mais independentes. Afinal, depois da escola e da faculdade, essas crianças formarão seus futuros lares e criarão seus filhos (nossos netos). Se a coisa continuar tomando a proporção atual, cada vez mais os avós serão chamados para socorrer financeiramente os seus descendentes pois estes incorporaram hábitos equivocados ao longo da vida, cuja conta uma hora chega.

À medida que envelhecem, ensine-lhes habilidades mais valiosas que são usadas no mundo real, como aprender quais são as taxas de juros e como os bancos centrais se aproveitam de nós. O gerenciamento do tempo e o orçamento também são ferramentas úteis.

Embora alguns especialistas pensem que apenas fazer uma aula de Economia Doméstica no ensino médio os atualizará quando estiverem prontos para se formar, eu discordo.

As escolas estão se adaptando aos tempos atuais e implementando as mudanças propostas pela nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Mas, tanto elas como os pais, estão se esquecendo de ensinar aos futuros adultos habilidades simples da vida cotidiana, que podem ter um enorme impacto em suas finanças.

Ser um membro útil e produtivo da família e da sociedade como um todo tem que começar desde cedo. É provável que seja esquecido se for ensinado apenas uma vez por dia por menos de uma hora. Este é um estilo de vida que deve ser praticado e repetido.

Caso contrário, todo esse processo terá que ser ensinado e aprendido novamente no contexto de um relacionamento romântico, o que trará tensão e conflito para a família.

No entanto, não há problema em ensiná-los na adolescência, mesmo que você não tenha começado quando eles eram mais jovens. Será mais desafiador, e você encontrará mais resistência. Mas, se você se mantiver firme e calmo, e expressar gentilmente seus limites, eles acabarão sendo um bom ajudante.

Depois de um tempo, a resistência será cada vez menor. No devido tempo, eles começarão a fazer coisas que precisam ser feitas, para que possam fazer outras coisas divertidas e mais emocionantes, como ir a encontros.

Uma vez que eles estejam prontos para sair, eles também saberão como andar pela casa de uma maneira muito proficiente, o que provavelmente impressionará sua data.

Então, além da educação financeira, procure dar (você mesmo ou através da escola) noções de economia doméstica para os pequenos. Isso ajudará a formar adultos emocionalmente mais seguros, envolvidos com o lar, comprometidos com o progresso e prosperidade sustentáveis. Dessa forma teremos menos problemas em nossas famílias no futuro.