Início Comportamento Disciplina positiva: 5 alternativas para substituir o castigo

Disciplina positiva: 5 alternativas para substituir o castigo

167
0

Quando você briga e castiga, cria um bloqueio imediato para o aprendizado

Pare de bater, gritar, humilhar e proibir, mas não deixe de dar disciplina ao seu filho.

A disciplina positiva consiste em orientar as crianças para se tornarem conscientes dos seus atos e desenvolverem a inteligência emocional. Essa prática é o oposto dos castigos tradicionais, como bater, gritar, humilhar e privar.

Para muitos adultos, praticar a disciplina positiva com seus filhos é um desafio extremamente complicado, pois eles foram criados da forma tradicional. Então, é preciso desconstruir o modelo de castigo que consideram normal para deixar que a disciplina positiva entre na rotina da família.

Como praticar a disciplina positiva?

É importante ter em mente que a disciplina positiva vai além dos momentos em que a criança faz algo errado e precisa ser guiada pelo caminho certo. Isso porque, quando você pratica uma educação positiva, as coisas “erradas” deixam de acontecer com a mesma frequência.

Por exemplo, se você passa a tratar seu filho com mais respeito e atenção, ele vai deixar de fazer birra, pois não vai haver espaço para esse comportamento. Então, as práticas da educação positiva devem compreender todos os momentos da vida, não só na hora de chamar a atenção da criança. Veja só.

  • Fazer uma pausa junto com a criança

Os pequenos vivem momentos de conflito o tempo todo. Afinal, todas as experiências da vida são novas para eles, assim como seus sentimentos. Então, quando o seu filho estiver em conflito, inseguro, com raiva, prestes a tomar uma atitude errada, você precisa agir.

Traga seu filho para um cantinho tranquilo e seguro, abaixe-se na altura dos olhos dele e acalme-o. Vocês precisam só de alguns minutos para se conectarem. Pergunte o que seu filho está sentindo e ajude-o a entender esse sentimento. Deixe-o sentir que está acolhido.

  • Dar uma segunda chance

A rigidez na educação das crianças precisa ser equilibrada. Quando uma criança comete um erro, seja tentando acertar ou fazendo uma travessura sem maldade, precisa saber que o adulto está consciente da intenção dela.

Se o seu filho foi levar um copo na pia e deixou cair no chão, a solução não é impedi-lo de usar copos de vidro, mas sim, ajudá-lo a limpar, mostrando que vidro quebrado é perigoso, e explicando que ele pode tentar de novo, com mais cuidado, da próxima vez.

  • Perguntar para entender

Na visão dos adultos, as crianças fazem muitas coisas erradas e sem sentido. Mas, se for perguntar a elas, sempre terá um motivo. Ao invés de apenas brigar com seu filho e mandá-lo para de fazer o que estiver fazendo, pergunte por que ele está fazendo tal coisa.

Muitas vezes, a criança está tentando entender algo, descobrir como funciona, e você pode ajudá-la a encontrar a solução. É nesse momento que vai acontecer um aprendizado importante e que seu filho vai saber que pode contar com você.

  • Resolver em conjunto

Se o seu filho está em uma situação de conflito, agindo com frustração por não estar conseguindo fazer algo, não mande-o parar com aquele comportamento. Ao invés disso, ajude-o a entender, pergunte a ele sobre o problema e o que ele espera conseguir. Mostre a ele como analisar uma situação por diferentes perspectivas para chegar a uma resposta.

  • Alternativas lúdicas para educar

Fazer desenhos em papel quando a criança não consegue se expressar com palavras. Contar histórias com lições de como lidar com problemas. Usar um bichinho ou boneco de brinquedo para limpar uma bagunça em conjunto e mostrar o jeito certo de fazer tal coisa.

Essas são alternativas lúdicas que atraem a atenção dos pequenos na hora de absorver um aprendizado ou de expressar suas emoções. Mostrar soluções é sempre melhor do que apontar um erro e dar um castigo, pois assim nada será aprendido.

FONTE dicasonline