Início Beleza Desodorante natural: é realmente eficaz?

Desodorante natural: é realmente eficaz?

386
0

Saiba mais sobre o desodorante natural

Adotar um estilo de vida mais saudáveis está sendo cada dia mais falado. Desde escolher o que vai no prato, até repensar os seus hábitos de consumo, pessoas de todo o mundo buscam por maneiras de diminuir o impacto sobre o planeta. Desperdiçar menos, reciclar mais e abandonar o uso de descartáveis são ações que fazem parte do futuro.

No mercado da beleza e dos cuidados com pele e cabelo, produtos veganos e maquiagens orgânicas vêm ganhando espaço. Inclusive, um dos itens mais famosos sem dúvidas são os desodorantes caseiros. Normalmente à base de bicarbonato de sódio e óleo de coco. Porém, será que o desodorante natural é realmente eficaz? Será que todos podem usar? O primeiro passo para entendermos melhor sobre o desodorante caseiro, é conhecermos mais sobre!

Principais ingredientes

Os ingredientes mais usados são: óleo de coco (hidratantes e bactericidas); manteiga de karité, (forte regenerador celular); bicarbonato de sódio (inibe o crescimento de fungos e auxilia na absorção da umidade); leite de magnésia (alternativa para quem tem alergia ao bicarbonato de sódio). Óleos essenciais e outras substâncias também podem entrar na lista.

Vantagens e desvantagens

Os desodorantes naturais são ótimas opções para as pessoas que querem o mínimo de química entrando em contato com as suas peles. Além do mais, a criação desses produtos pode ser personalizada: mais ou menos hidratantes, perfumados ou consistentes, conforme os gostos e necessidades de quem os fazem. Por serem 100% naturais, também apresentam menos risco de alergias.

Isso não quer dizer, no entanto, que esse risco esteja totalmente eliminado. “As soluções caseiras são, em geral, substâncias que alteram o pH da região axilar e reduzem a colonização bacteriana que está relacionada ao mau cheiro. Pacientes alérgicos devem ter cuidado redobrado e fazer um teste em áreas pequenas antes de iniciar o uso”, sugere a dermatologista Lilia Guadanhim, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e médica da Unidade de Cosmiatria da Escola Paulista de Medicina/Unifesp. Além disso, é recomendado evitar a exposição ao sol com produtos caseiros na pele.

É necessário, também, ter cuidado na escolha dos ingredientes. “Muitos sites sugerem, por exemplo, o uso de limão nas axilas como desodorante e clareador, o que pode causar manchas, alergia e queimaduras”, destaca Lilia. “O uso de desodorantes naturais contendo alumínio também pode irritar a pele”, conclui. “Eventualmente, os óleos essenciais (nem sempre puros e, às vezes, misturados a fragrâncias de má qualidade) podem provocar alguma dermatite de irritação”, complementa Samar Mohamad El Harati, dermatologista do Hospital São Luiz Anália Franco. Ele também destaca outro ponto que devemos ficar atentos, que é em relação ao bicarbonato de sódio. “Trata-se de um dos ingredientes que mais irritam peles sensíveis”, afirma o médico. Sendo assim, a fórmula que é boa para uma pessoa pode não ser boa para outra.

Apesar disso, é em relação a proteção e durabilidade que as substâncias naturais perdem pontuação em comparação com produtos industrializados. Embora consigam inibir a proliferação de bactérias que causam o mau cheiro, elas não reduzem a transpiração – o que, para muitas pessoas, pode ser um real problema. Na composição dos seus ingredientes não há antitranspirantes (como sais de alumínio), produtos esses que oferecem proteção. Portanto, para as pessoas quem suam muito e precisam garantir a proteção o dia todo, a opção 100% natural pode não ser suficiente.

Fonte: abril