Início Comportamento Crianças que são exageradamente criticadas sofrem danos cerebrais, afirma estudo

Crianças que são exageradamente criticadas sofrem danos cerebrais, afirma estudo

3681
0

Crianças que são duramente criticadas sofrem alterações cerebrais

O relacionamento que construímos com nossos pais nos marca profundamente por toda a vida. As palavras ditas, o tipo de afeto e as conversas sempre serão lembradas e este conjunto é capaz de formar a nossa auto estima, nosso grau de coragem, nossa capacidade de acreditarmos em nós mesmos e de termos determinação. Todos os elogios, críticas, desprezos, demonstrações de amor, indiferença, atenção, depreciação e respeito tem um grande impacto no nosso interno. Normalmente somos aquilo que os nossos pais nos fazem acreditar que somos.

Sabe-se que esta relação entre pais e filhos é capaz de desenhar psicologicamente um indivíduo, porém, a ciência entende que o cérebro também pode sofrer alterações conforme as marcas deixadas deste relacionamento.

Neurocientistas descobriram que áreas do cérebro relacionadas as emoções são afetadas quando sofremos muitas críticas dos nossos pais.

Estudos realizados mostraram que as crianças que são duramente criticadas tem uma imensa dificuldade em lidar com emoções, o que justifica o fato de que estas crianças têm um risco maior em desenvolver depressão e ansiedade.

Como seres humanos, temos a tendência em evitar ao máximo tudo aquilo que nos gera certo grau de desconforto. Se nosso cérebro entende que algo não nos faz bem, ele irá fazer o máximo possível para deixar aquilo longe de você. É uma questão de sobrevivência inconsciente. Então, quando estamos lidando com algo que nos agride de alguma maneira e não podemos escapar, nosso cérebro “desliga” para que os danos sejam mínimos. Porém, quando isso acontece de forma consecutiva, tornando esta defesa involuntária necessária seguidamente, se torna um perigo agravante, afinal o cérebro de uma criança está em pleno desenvolvimento e acabará por não se desenvolver da forma correta, pois as conexões cerebrais relacionadas ao emocional que deveriam acontecer podem acabar não acontecendo.

Crianças que sofrem críticas constantes não conseguem processar as emoções de raiva, nojo ou desconforto dos pais a fim de se protegerem. No entanto, esta mutilação do sistema nervoso acaba as impedindo, também, de processar emoções positivas dos outros.

Portanto, os pais devem entender até que ponto uma crítica é sadia e como ela deverá ser comunicada. É importante entender a diferença entre a crítica construtiva e a crítica destrutiva. Ter em mente que o foco é o desenvolvimento da criança e jamais a depreciação é essencial.