Início Bem estar Criança mimada é falta de educação. E a culpa é dos pais,...

Criança mimada é falta de educação. E a culpa é dos pais, sim!

2682
0

Mesmo aqueles que não têm filhos já devem ter presenciado uma cena típica de criança se jogando no chão, batendo braços e pernas, gritando e por vezes berrando, e tudo por não receber aquilo que quer e na hora que quer. Há crianças que jogam comida no chão por que não é aquele alimento que preferem, crianças que agridem as pessoas (inclusive os pais) em momentos de fúria, pequenos seres que não respeitam pessoas mais velhas e a bagagem que elas carregam. Todas essas atitudes, por mais que alguns pais tenham dificuldade em aceitar, é o que chamamos de FALTA DE EDUCAÇÃO e ela é gerada em função de criar uma criança com mimos exagerados. Ou seja: criança mimada pode se tornar um ser humano mal educado.

”Os pais e as mães estão muito mais ausentes, pois trabalham muito. Com isso, as crianças têm ficado muito mais ligadas a aparelhos tecnológicos e têm cada vez menos contato com a família. Isso desencadeia um comportamento social sem muitos limites” explica a psicóloga Laurema Suckow de Castro.

Segundo Laurema, o comportamento errado dos pais acaba se tornando um ciclo vicioso: os pais não querem repreender a criança quando estão junto dela, pois passam muito pouco tempo na sua presença. Querem aproveitar esses momentos para dar todo amor aos pequenos, e acabam não dando aquilo que realmente educa: limites.

“Uma criança mimada é uma criança que tem baixa tolerância à frustração. Não sabe ouvir um não e não consegue se comportar bem socialmente” explica a psicóloga. Esse “não consegue” é, na verdade, a questão da criança saber que os pais não vão repreendê-la em um lugar público, o que faz com que a família acabe passando por constrangimentos.

O segredo para melhorar e resolver essa questão parece bastante simples, embora não seja: imponha limites. Não é simples pois para os pais, que têm sentimentos profundos pelos seus filhos, é bastante difícil passar um tempo com a criança dizendo-lhe “não” ou repreendendo-a.

Para tentar ajudar mais com isso,  segue abaixo algumas dicas do que fazer nesses casos:

  1. Seja firme: Não volte atrás em uma decisão. A criança precisa confiar e se sentir segura com qualquer decisão do responsável.
  2. Fuja do consumismo: Não tente substituir sua presença com presentes, isso é uma péssima ideia. Veja bem, nada material irá substituir a educação, companheirismo e amor entre pais e filhos. Presentes só em datas especiais, certo?
  3. Dê tarefas de acordo com a idade da criança: os pequenos também precisam entender o que é responsabilidade. Dê à eles a chance de serem responsáveis por uma pequena tarefa do dia a dia, de acordo com a maturidade deles.
  4. Não sofra: está aí uma dica valiosa. Não se torture por estar sendo ríspido (a) com seu filho, por estar dizendo um “não”. Lembre-se que ser firme faz parte do processo de educação, mostrar para a criança o quanto ela lhe atinge pode fazer você parecer frágil perante ela.
  5. Faça combinados: antes de sair de casa ou passar por alguma situação junto de seu filho, faça combinados com ele. E lembre-se durante a execução que ele se comprometeu com você.
  6. Tenha o controle da situação: lembre-se sempre que quem sabe o que é melhor para as crianças são os adultos, não elas.

Sabemos que é difícil, mas estamos falando da criação de pequenos seres humanos… você não esperava que fosse fácil, não é? Cuide do seu filho com amor, aproveite cada momento junto dele, mas seja firme! Impor limites não é sinônimo de desamor, muito pelo contrário: dê educação ao seu filho hoje, e ele lhe recompensará e agradecerá no futuro.

Texto baseado em pensamentoliquido