Início Comportamento A psicologia da decepção: em quem não se pode confiar

A psicologia da decepção: em quem não se pode confiar

732
0

É seguro dizer que cada pessoa engana, apenas as razões, os motivos, o grau de responsabilidade e as consequências diferem. Qual é a psicologia do engano? O que está por trás dessa prática, afinal de contas?

Por que as pessoas mentem?

Os psicólogos dirão que tudo depende das características individuais do indivíduo. Mesmo a pessoa mais sábia pode ser enganada. Mas surge a questão: por que as pessoas recorrem a mentiras?

Alguns não querem incomodar seus entes queridos entrando em detalhes sobre sua vida pessoal. Por isso, respondem com a frase de plantão: “Está tudo em ordem”. Pode ser mentira, mas inofensiva.

Pesquisas no campo da psicologia mostram que as mulheres são mais propensas a mentir sobre questões domésticas, enquanto os homens mentem para proteger seus interesses pessoais. A sociedade moderna é tal que, em algumas situações, é preciso contar uma mentira involuntariamente.

Como reconhecer e expor um mentiroso

Para não cair na isca dos golpistas, você precisa aprender a reconhecer a mentira. Os especialistas aconselham prestar atenção aos gestos do interlocutor, expressões faciais, pausas na fala – tudo o que se manifesta involuntariamente e é muito difícil de fingir.

  1. Mudança rápida de emoções.
  2. A postura, a posição dos braços e pernas do interlocutor significam muito. Os membros cruzados indicam um desejo de se esconder de você. Tocar no nariz, nos cabelos, nas mãos, o desejo de tocar o ouvinte indica a intenção de esconder algo.
  3. Há longas pausas na conversa, a entonação muda periodicamente, frases repetidas soam. Mas a fala confusa também é característica de falantes que não estão familiarizados com o assunto da conversa e estão tentando encontrar as palavras certas. Uma pessoa também pode ter problemas de saúde, respiração.
  4. Inconsistência das expressões faciais com as palavras do interlocutor. Isso sugere que ele costuma treinar na frente de um espelho, como se estivesse colocando uma “máscara”.
  5. O contato visual também é muito importante em uma conversa. Freqüentemente, um mentiroso olha fixamente nos olhos ou, ao contrário, tenta desviar o olhar, move-o rapidamente de um objeto para outro, as pupilas costumam estar dilatadas.
  6. Mas deve-se ter em mente que o participante da conversa pode simplesmente estar nervoso, tentando esconder problemas pessoais ou dúvidas. Portanto, você não deve pensar que pode expor com confiança qualquer mentiroso apenas por sinais externos.

Não confie em todos!

Somente a capacidade de ler os pensamentos de outras pessoas permitiria em 100% dos casos expor o enganador. Deve-se entender que sempre houve e sempre haverá uma mentira no mundo, portanto, não se deve confiar imprudentemente na palavra de estranhos ou desconhecidos. 

Texto originalmente publicado em kreativlife e adaptado pela equipe do blog Educadores.