Início Bem estar A conexão humana com a natureza pode reduzir o risco de...

A conexão humana com a natureza pode reduzir o risco de doenças

334
0

A conexão emocional ou sensação calmante que acompanha uma caminhada em um parque ou floresta é o resultado de necessidades psicológicas atendidas.

Um estudo e pesquisadores da Texas A&M University, da University of Georgia e do Minnesota Department of Natural Resources que descobriu essa novidade. Nele, foi declarado que o apego das pessoas à natureza pode ser explicado por suas necessidades psicológicas básicas de autonomia, relacionamento e competência. 

Segundo os pesquisadores, o aumento do estresse e do isolamento devido ao COVID-19, as áreas naturais e os benefícios psicológicos que elas fornecem são necessários agora mais do que nunca.

“No contexto do COVID-19, os benefícios para a saúde física e mental humana tornaram-se cada vez mais importantes com o aumento da visitação a áreas protegidas e participação em atividades ao ar livre, como caminhadas, camping e pesca”, disse o colaborador do estudo Gerard Kyle, Ph. D., professor e chefe de departamento associado para programas acadêmicos no Departamento de Rangeland, Wildlife and Fisheries Management. 

Kyle conduziu um estudo transversal junto com um grupo seleto de seus ex-colegas de trabalho e alunos, pesquisando 795 americanos para avaliar seu apego a uma área selvagem que é especial para eles. O estudo foi publicado recentemente na  Environment and Behavior

Os entrevistados foram solicitados a avaliar seu apego com base na identidade do lugar, apego emocional, dependência e também em quão bem ele atendeu às suas necessidades de autonomia e conexão emocional.  

Nos resultados, os pesquisadores encontraram fortes relações entre o apego emocional dos entrevistados e a autonomia que sentiam que o ambiente lhes proporcionava. Seus dados sugerem que a identidade de lugar está fortemente ligada à necessidade psicológica de um indivíduo de relacionamento ou conexão emocional.   

“A necessidade dos humanos pela natureza varia consideravelmente por uma variedade de razões, mas também está ligada à evolução. Para alguns, a necessidade, ou traço, é forte ”, disse Kyle. “Para muitos, os cenários também estão ligados a uma série de memórias de experiências passadas com outras pessoas significativas. Essas memórias podem se estender até a primeira infância e podem ser profundamente emocionais. ” 

Dado que os indivíduos frequentemente participam de atividades recreativas ao ar livre com amigos ou outras pessoas significativas, os pesquisadores não ficaram surpresos com esta descoberta – que também promove uma investigação mais aprofundada do resultado do apego do lugar ao bem-estar e os benefícios sociais das áreas selvagens nas comunidades.   

“Sabemos que as árvores desempenham um papel importante na saúde humana e promovem o bem-estar”, disse Stover. “Sabemos que eles atraem as pessoas para o exterior para que possam se exercitar mais, o que reduz o risco de doenças crônicas. É igualmente importante trazer essas florestas para os centros urbanos para que as pessoas possam ter essa exposição a elas bem em seus quintais para promover exercícios e a sensação de bem-estar que se obtém quando está na presença de árvores”, complementa Stover em um discurso de abertura que ele proferiu recentemente em uma conferência EarthX.  ”. 

A conexão humana com a natureza tem raízes psicológicas e pode reduzir o risco de doenças

Texto originalmente publicado em neurosciencenews e adaptado pela equipe do blog Educadores.