Início Comportamento Tatuagens em animais: moda ou abuso de animais?

Tatuagens em animais: moda ou abuso de animais?

160
0

O estado de Nova York promulgou uma lei que proíbe tatuagens e piercings em animais de estimação. Provavelmente começarão a ser aprovadas leis em mais partes do mundo que impeçam essas práticas, considerando-as desumanas e inconscientes.

Atualmente, existem comportamentos que rompem com o “estabelecido” que geralmente são controversos. Assim que se discute a questão dos animais e seus direitos, sempre há opiniões conflitantes que nos fazem perceber que tanto eles quanto nós dependemos do ser humano e de nossas ações.

Muitos dizem que touradas e animais de circo são práticas desumanas, outros assistem com devoção todos os finais de semana para curtir um espetáculo e se divertir. Hoje, alguns fizeram mudanças drásticas em seus animais de estimação para se beneficiar: cães que não latem para evitar incomodar seus donos, cortar orelhas e caudas de animais de estimação para torná-los mais estéticos e por aí vai.

Um deles é Eduardo Kac. Este artista brasileiro é conhecido por inventar a bioarte e modificar geneticamente a estrutura de um coelho para pintá-lo de verde. Além disso, o estudo inglês Cohen Van Balen inventou uma bactéria para que os pombos defecassem detergente e não seus excrementos corrosivos.

Mas as transformações animais não param por aí. Hoje, muitas pessoas decidiram tatuar cachorros, gatos e até porcos! Até que ponto é válido modificar a aparência dos animais de estimação? Isso não seria uma prática irresponsável e indiferente diante da dor animal?

Podemos modificar nossa aparência como quisermos: tatuagens, piercings e qualquer expressão corporal são válidas desde que sejamos nós que optemos por realizá-las. Isso não acontece com os animais, pois sendo seres que não conseguem expressar negatividade diante dessas práticas, automaticamente se torna um ato de agressão.

Adaptar e modificar seu corpo é desnecessário e doloroso. Aqueles a quem deveríamos cuidar e proteger, causamos mais dor e sofrimento por uma tatuagem que eles não pediram. Alguns argumentam que eles fazem isso sob anestesia para evitar a dor, mas nem todos os donos são tão atenciosos e lembram que a tatuagem queima como uma queimadura dias depois de feita.

Tenhamos mais carinho e cuidado com nossos animais. Proteja-os!

Texto originalmente publicado em despiertacultura e adaptado pela equipe do blog Educadores.