Início Comportamento Síndrome do avô escravo

Síndrome do avô escravo

592
0

Quando a responsabilidade excede o limite

Atualmente, as mulheres têm incorporado cada vez mais o mercado de trabalho e, por este motivo, as famílias têm sofrido algumas mudanças em suas estruturas. Além disso, a expectativa de vida dos idosos aumentou. Sendo assim, como consequência, os avós tem cuidado dos netos em tempo integral e ajudam muito em relação à vida profissional dos pais. Porém, tudo tem um limite e é preciso saber respeitar o espaço dos avós.

A aposentadoria é um momento delicioso para os idosos. É uma fase de libertação onde finalmente eles podem aproveitar o tempo livre, depois de uma vida dedicada ao trabalho.  

Conforme Colubi e Sancho (2016), a síndrome do avô escravo se resume a um conjunto de sintomas psicológicos e físicos que os idosos sofrem como consequência das mudanças sociais. Esses sintomas também possuem consequências em diferentes aspectos, começando pelo físico.

A questão é que o papel dos avós nas famílias vem sendo um importante pilar para diminuir o impacto social da crise nas famílias. Esse apoio acontece de diversas maneiras:

Apoio financeiro

Muitos avós acabam tendo uma responsabilidade imposta para manter tanto seus filhos como seus netos.

Ajuda com as tarefas e cuidado com os filhos

Com os pais dedicados ao trabalho, os avós acabaram se responsabilizaram pelos cuidados com os netos. Com o apoio dos avós, os pais conseguem formar suas próprias famílias sem renunciar ao trabalho.

Apoio nas tarefas do lar

Muitos avós ajudam seus filhos com o preparo das refeições, limpeza da casa e demais tarefas.

Sendo assim, com tantas tarefas, os avós podem ficar sobrecarregados e estressados. Isso dá lugar à síndrome do avô escravo. Por este motivo, é preciso saber definir limites para não chegar ao limite desta relação.

Além disso, a síndrome do avô escravo não pode ser considerada como sendo causada pela relação entre os avós e netos. Muito pelo contrário! A proximidade entre avós e netos é muito benéfica. Confira alguns benefícios desta relação:

  • Prazer em ser avô;
  • Felicidade;
  • Maior atividade;
  • Segurança do cuidado.

Porém, quando esta relação exige demais dos avós, ela pode sim ter malefícios. Confira alguns problemas desencadeados pelo excesso de responsabilidades que os pais exigem dos avós:

  • Estresse;
  • Cansaço e esgotamento;
  • Sensação de obrigação;
  • Pouco tempo livre;
  • Piora no estado de saúde;
  • Tristeza.

É preciso entender que os avós não possuem a mesma energia de quando eram pais. Eles possuem limitações físicas e é preciso entender que eles têm uma vida e que merecem vivê-la. Não é justo que tenham que ser responsáveis pelos filhos já adultos e criados e nem pelos netos. As exigências com as quais os avós lidam os deixa tristes e exaustos.

Os avós precisam ter espaço para as aspirações, para fazer planos e fazer escolhas. Sua opinião, ainda que desatualizada, precisa ser levada em conta. Além disso, os avós não devem se sentir obrigados a renunciar à própria vida para cuidar dos netos.

Ser avó ou avô é uma benção e esse título traz muita alegria. Porém, a relação dos avós com os seus netos deve ser repleta de felicidade e não de exigências. Os avós estão disponíveis para fornecer amor, carinho, atenção, momentos felizes e claro que também estão disponíveis para cuidar, porém, nada que extrapole o limite.

Fonte: amenteemaravilhosa