Início Educação Professor: a profissão que forma profissões

Professor: a profissão que forma profissões

805
0

Se pensarmos quem forma todas as profissões? Quem forma um médico? Um engenheiro? Administrador? E um advogado? Desde os primórdios da humanidade, o professor é aquele que forma todas as profissões, aquele que instrui, que leciona letras e números, que desperta o raciocínio lógico, que forma as próximas geração e as prepara para o futuro.

Nesse mundo ele é a peça fundamental, necessária para realização e aperfeiçoamento de todas as carreiras e atividades. O profissional de muita responsabilidade. Entretanto, mesmo que tenhamos noção de tamanha grandeza, nada se faz para que nossos mestres sejam valorizados, nada de um salário digno à sua altura.

Uma pesquisa revelou que os professores com formação universitária ganham um pouco a mais que os outros trabalhadores com a mesma qualificação, e a situação é alarmante na educação básica da rede pública. A maioria dos estados brasileiros paga menos que o piso nacional. Isso é inadmissível que um cidadão que escolhe a sala de aula como vocação, o amor pelo ensino, que gastou na carreira, fez mestrado, doutorado e que dedica sua vida para que as outras pessoas, receba entre $18 e 19 reais por hora de trabalho. Este valor é pouco se comparando com os R$ 36 das outras profissões.

É exatamente isso que você leu, meu caro leitor, o salário de nossos professores está entre os piores do mundo. Uma outra pesquisa, elaborada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), apontou que a remuneração dos docentes está abaixo de países como o desenvolvimento semelhante ao nosso, como por exemplo, México, Costa Rica e Colômbia. Esse disparate é assustador, revoltante e cruel.

Para que possamos ter uma comparação, um educador da educação básica inicia sua carreira recebendo o equivalente a 13 mil dólares por ano. E na Colômbia, um iniciante ganha 14,2 mil dólares, no México 17,2 mil anuais. E a Costa Rica, o salário é o dobro do nosso, 24,2 mil dólares. Entendeu agora?
Não é por acaso que o governo não prioriza a educação como eixo central do desenvolvimento do Brasil.

O Brasil precisa de autoridades publicas conscientes e que vejam a importância de reestruturar a rede publica de ensino, de oferecer condições dinas de trabalho. Mas acima de tudo melhorar o salário para nossos docentes. Nossos jovens estão cada vez menos atraídos pela profissão professor. De cem alunos que adentram no curso de pedagogia, apenas 51 formam e só 27 tem empenho em trabalhar na área.

Fonte: deputado Bacelar