Início Comportamento Menino obrigado a ficar ajoelhado no trigo. História muito triste sobre a...

Menino obrigado a ficar ajoelhado no trigo. História muito triste sobre a maldade.

3694
0

Um menino da Sibéria vinha sendo punido severamente pelo padrasto. A triste história envolve grãos de trigo e os pobres joelhos da criança: quando quebrasse alguma regra, ou chegasse tarde da escola, o menino deveria ficar ajoelhado entre 30 minutos e 9 horas!

Essa punição severamente aplicada no menino, fez com que cirurgiões fossem obrigados a colocar anestesia para retirar grãos da sua pele, de tão embutidos que estavam. A aparência terrível era de que o trigo crescia diretamente dos joelhos do menino.

Segundo autoridades, o padrasto pesquisou métodos de tortura medievais na internet. Sergey Kazakov, 35, conheceu a mãe do garoto Alina Yumasheva online, e é acusado de espionar a criança com uma webcam enquanto ela cumpria a sentença ajoelhada.

Yumasheva, 27 anos, afirmou que se ajoelhou no trigo sarraceno uma vez, e que achava ser uma punição eficaz.  

Agora, tanto a mãe quanto o padrasto serão julgados por seus atos, podendo enfrentar até 7 anos de prisão.

O menino era um bom aluno. Segundo os professores da escola que frequentava, andava sempre bem vestido e não aparentava nenhum problema em casa. A mãe sempre comparecia às reuniões e quando era chamada. A professora Olga Pidzhakova disse que achava que ele estava com muito medo de falar.

Ela acrescentou: ‘Ele é um filho bom e positivo. Nem eu, nem outros professores ou crianças estávamos cientes de que ele estava sendo intimidado em casa”.

A criança só revelou o que sofria quando fugiu de casa após uma punição severa ao extremo. Ele explicou a um vizinho o que estava acontecendo, e este ligou imediatamente para a polícia.

Desde que foi acusada, a mãe que não tinha ideia que a criança também sofria nas mãos do marido.

Hoje o menino vive com a mãe sob vigilância dos serviços sociais enquanto Kazakov está sob custódia.

Texto originalmente publicado em metro e adaptado pela equipe do blog educadores.