Início Bem estar Carona a Pé: que tal reunir os alunos (ou colegas) e criar...

Carona a Pé: que tal reunir os alunos (ou colegas) e criar uma rota a caminho da escola?

920
0

Carona a pé: crianças criam grupo para ir caminhando juntas e com segurança até a escola

Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Na época dos nossos pais e avós, o hábito de ir à pé para a escola era muito comum. Hoje, em algumas regiões do país você ainda vê crianças e adolescentes indo sozinhos para a aula, mas nas grandes cidades, todos temos ciência de que é inviável deixar uma criança andar sozinha pela rua.

Numa sociedade que incentiva o uso dos carros e cria milhões de maneiras para não precisarmos sair de dentro deles, caminhar é um ato de resistência. Estacionar o carro algumas ruas antes de chegar à escola e fazer pequenas caminhadas representar uma oportunidade para a brincadeira acontecer, para estar junto, para reparar no mundo. Imagine se tem uma pracinha ou um parque pelo caminho? Um bom motivo para adicionar 20 minutos de brincadeira antes de seguir no ritmo que o relógio marca.

E caminhar o trajeto todo até a escola? É possível? É, sim! E quando vamos em turma, a experiência é ainda melhor. Outra vez, quando estava caminhando por São Paulo, pedi informação sobre uma rua. Ao receber as direções do trajeto, perguntei: ”É longe?”, e ela me respondeu: “Se você estiver sozinha sim, mas acompanhada é bem rapidinho”.

Para ajudar a solucionar este problema, a professora Carolina Padilha, de um colégio na região central de São Paulo, resolveu criar um projeto inovador. É o Carona a Pé, onde crianças, acompanhadas por dois adultos (um no início e outro no fim da fila), vão caminhando juntas para a aula.

A primeira rota começou a funcionar em julho de 2015, e contou com grande adesão de pais e filhos. Uma mãe ajudou com o site, outra com o termo de consentimento dos pais, e até as crianças deram sugestões, como a criação de pontos de encontro para quem mora mais longe poder participar.

Hoje, o Carona a Pé é um sucesso, e conta com a participação de 80 crianças e 24 pais e professores, além de ter 8 rotas diferentes. E após a divulgação da iniciativa na internet, pais de outras escolas a procuraram para replicar o projeto.

Os percursos atendem crianças que se deslocam num raio de até 2 quilômetros da escola. Nesse percurso, as crianças criam vínculos com pessoas do entorno, aumentam o compromisso com o tempo, diminuem o trânsito, tornam a cidade um lugar mais amigável. As crianças se conectam com o espaço, com as pessoas, consigo mesmas. “Minha avó dizia: Vai andar para circular as ideias. Andar é uma boa maneira para refletir e pensar”, conta Carol Padilha.

Toda rota é pensada para ter tempo de experimentar o que há no caminho e chegar à escola sem atraso. O objetivo não é fazer uma caminhada com pressa. É ter tempo de parar para observar, cumprimentar alguém, fazer pausas.

O que as crianças aprendem caminhando coletivamente até a escola? “Quando caminham, as crianças praticam um exercício da liberdade. Reconhecem seu corpo em movimento. Percebem as mudanças da paisagem. Todo dia é o mesmo caminho, mas nunca é o mesmo caminho. As crianças também ganham confiança nas sua ações, ficam mais articuladas nas relações que estabelecem com a cidade.

Uma inteligente forma de melhorar o trânsito, colaborar com o meio ambiente, fazer exercícios e proporcionar uma nova e diferente experiência aos alunos! Fica a dica para você levar a ideia para a sua cidade também.

CONTATOS CARONA A PÉ caronaape.com.br/

fonte: Matéria adaptada livremente do site /conexaoplaneta